18.3.07

Visões

Enquanto eu considerei a manifestação na Avenida Atlântica impactante como as intervenções plásticas do artista búlgaro Christo, Jôka, o dono do Avenida Copacabana, ums de minhas leituras diárias favoritas, e seus leitores habituais viram no cemitério na areia uma afronta àquele cenário.
Meu amigo William Morrisey, americano, uma vez comentou que nos EUA é praticamente impossível ter amizades de ideologias heterogêneas. No Rio, no entanto, temos um conceito mais abrangente de amizade. Há alguns tipos que jamais freqüentariam nossa casa, mas os laços são formados, principalmente, pelo background sócio-geográfico. Poucos têm amigos que morem fora de sua área de circulação, mas o relacionamento afetivo respeita as diferenças ideológicas.
No blog do Jôka, encontro essas diferenças de visão - e adoro!
Quanto ao protesto, só achei mal bolado. Se pusessem celebridades televisivas fincando as cruzes nas areias, certamente teriam a atenção e a adesão de quem passeava no calçadão. Infelizmente, é só mais uma manifestação. Reflexiva, porém apenas uma manifestação.

3 comentários:

Kristal disse...

Se fizessem essa porcariada ridícula aqui na Delfim Moreira, eu iria lá chutar tudo.
Papel triste dessa gente que quer se promover, Olga !

Jôka P. disse...

Você, uma jornalista nota 10, tem o meu bloguinho como um de seus favoritos ?!
Nossa ! Obrigado, Olga !
Vou ficar metido, hein...

]:D

Olga disse...

Ai, Jôka, seu blog é uma delícia, vivo repetindo porque é MESMO! Você é um cronista nato, observador mordaz desse universo que é Copacabana.
bj!!!