27.5.05

Aos 44 do primeiro tempo





Parece que perdi muito tempo. Vinte anos atrás, não fiz mestrado, não fiz doutorado, não troquei de país. Comecei a correr o mundo, aí, resolvi aburguesar pra ver se dava certo. Não agüentava mais a noite, abandonei parte das drogas, bebia só vinho no fim de semana. Fumava dois maços e meio de Marlboro por dia. E não aprendi a cozinhar. Comprei carro, casa.
Tive que largar o cigarro, um menino crescia em mim. Comprei a segunda casa, não corri mais o mundo. Fiz um montão de crianças, cuidei de tanta gente. Perdi tanta gente. Continuo criando gente e bichos.
Arrumei uma tartaruguinha que vai viver mais do que eu, espero. Será minha permanência perto de meus netos.
Enquanto ela não cresce, tento fugir da velhice me infiltrando em novos mundos, já que não pude conhecer o velho planeta.
Aos 44 do primeiro tempo.
foto: Guillaume Pazat/kameraphoto

2 comentários:

Ju disse...

Então quer dizer que aind tem mais um minuti do primeiro tempo, mais o segundo e a prorrogação!
Beijos mil

Olga disse...

Pois é, menina, isso me deu sangue novo!!!
beijo