4.9.05

Vida que segue


Júlia se preparando para sair, experimentando biquínis com uma amiga que dormiu aqui em casa. Vão para a casa de outra menina, em frente ao prédio, um daqueles novos apart-hotéis de Botafogo, com piscina, sauna, sala de jogos, pista de atletismo, tudo para manter seu filhote confinado numa vida protegida, embora as balas da guerra no Santa Marta possam atingir suas vidraças blindadas.
Eu? Ah, eu quero ficar em casa, apesar do dia lindo, lendo um bocado ou assistindo a "Orgulho e Preconceito" na TV. Adoro ver Colin Firth com aquele ar absolutamente inexpressivo, vazio, de Mr. Darcy. Conheci um homem com a mesma inexpressão. Tem gente que leva a vida com cara de entojo.

4 comentários:

Sonia disse...

Também me decepcionei com o Mr. Darcy do filme. Adoro jane Austen, e imaginava um Mr. Darcy tão diferente. Como o Willoughby de Razão e sensibilidade, e també a Emma Thompson, embora grande atriz, não convenceu fazendo uma jovemzinha de 19 anos. Emma eu achei totalmente falho. Jane Austen não dá mesmo sorte com o cinema.

Olga disse...

Pra mim o melhor foi Emma. Gostei das adaptações para o cinema, embora Emma Thompson bancando a jovenzinha, realmente, não dá. Acho que o Darcy tinha que ser mais antipático ainda. A opção pela interpretação amorfa não me pareceu tão boa.

Wagner disse...

Eu gostei do Colin Firth naquela outra versão de "Ligações Perigosas", que, para não ser confundida com a original, chamou-se "Valmont". Você viu esse filme?

Olga disse...

Vi, sim, é a versão do Milos Forman, muito boa, embora eu prefira a do Stephen Frears. Eu gostei do Colin Firth em Bridget Jones e em Shakespeare Apaixonado.