29.11.05

Espírito natalino



Convenhamos que a árvore de Natal da Lagoa é feiosa, sim. De uns anos pra cá até que ficou mais bonitinha, apesar da estrela no alto - um horror! Mas o que ela traz de gente para apreciá-la já faz valer o excesso de luzes e agora, suprema glória da cafonice, das águas dançantes.
Fomos ver o espetáculo das luzes e águas na nossa Vegas tropical. Muita gente de outros bairros, algum aperto e o show. São velinhas e triguinhos, estrelinhas azuis e as agüinhas dançando. As pessoas tiram fotos, compram churrasquinho, cerveja, refrigerante, penduricalhos que brilham em neon, joggers disputam a ciclovia com o povo que passeia à noite, chupando picolé.
As luzes falham, por vezes a chaminha das velas não se acende (as referências são todas no diminutivo: agüinha, velinha, triguinho, foguinho...Afinal, estou acompanhada pelas crianças). As pessoas riem, brincam, caminham. Igual quando eu era criança e saíamos todas as noites para dar uma voltinha até a Praça da Paz ou até o Roxy, sem qualquer objetivo consumista, apenas esticar as pernas e conversar. Quando comento isso com a geração que hoje tem 25 anos, causo espécie. Passear à noite pelo Rio, só em ocasiões especiais, como quando a árvore da Lagoa está acesa.

4 comentários:

SilkSatin disse...

Não que eu seja habitualmente uma moça comedida e minimalista...
Eu tou mais pra Joãzinho Trinta do que Feng Shui. Mas minha educação em colégio de freira me condicionou...tento não me deleitar muito na cafonice.
Exceto no Natal... aí quanto mais cafona melhor. Arvores, luzes, brilhos, neve artificial... adoro.
Ontem mesmo fui ver o festival da luzes em New Haven. A arvore da lagoa é uma obra de Gaudi comparado ao tal festival.
Quanto ao habito de sair pra andar a noite... o que a minha vozinha chamava de "fute"... eu ainda tenho. (exceto quando faz frio pra burro) E passei o hábito para meu mais velho, que hoje com 20 anos, gosta de sair com a namorada e simplesmente andar.
Excelente antidoto contra o sedentarismo.

Sonia disse...

Ah, Olga, a árvore é bonita sim.

Olga disse...

A árvpre, vá lá, mas as agüinhas...
Não dá, Sônia. Ano que vem, o que inventarão?

maria rezende disse...

lá vem a mal humorada: a árvore é horrível, gente, e a multidão que ela traz é a pior parte! todo ano é a mesma coisa: mamãe liga, "vem jantar aqui, filha", a filha vai, esquece da meleca da árvore e bingo: 40 minutos pra ir de botafogo a ipanema, cercada de pipoqueiros e flanelinhas. andar de noite no rio é das delícias da vida, mas vamos combinar: a lagoa é muito mais linda sem show de luzes e águas... beijo, querida!