12.12.05

Era só o que faltava


Inventaram protetor solar para cachorros e gatos.
Ignorante que sou, imaginava que cães e bichanos tivessem pêlos o suficientemente expessos para protegê-los das intempéries.
A divulgação manda release informando que "com a pele mais sensível do que a dos humanos, cães e gatos precisam de atenção especial no verão." E prossegue: a exposição ao sol pode tornar os pêlos secos e quebradiços, além de correrem o risco de alterações na coloração. Sem o filtro solar, a pele dos animais pode ficar ressecada e suscetível às doenças.
O release tem até aspas de uma veterinária explicando que a pele dos animais é muito fininha e que, por isso, eles têm risco de desenvolver doenças como câncer de pele. O protetor solar, de sabor amargo para que os gatos não o retirem com lambidas, é indicado até para os animais que não freqüentam praia ou sítio (o grifo é meu). Ué, e eu que pensava que fosse proibida a freqüência de outros mamíferos que não o homem nas praias...
E vamos à explicação da veterinária: “Gatos gostam de tomar sol em cima dos telhados ou perto da janela, cães também deitam-se ao sol, às vezes até de barriga para cima. Eles precisam de proteção solar diária, de preferência 30 minutos antes da exposição ao sol”. E mais: a empresa vende ainda óculos de sol para animais, que protegem olhos e pálpebras contra a radiação solar, e previne doenças como a catarata ou inflamações causada por ciscos, areia, corpos estranhos etc. Específico para cães que andam de carro com a cabeça para fora da janela podem ter os olhos irritados e ressecados.
Coitados dos bichinhos...

2 comentários:

eduardo disse...

Já ouvi falar de uma pesquisa que os cachorros e gostos ficam no terceiro lugar em consumo. Primerio vem a mulher, segundo a criança.

Olga disse...

Bem, aqui em casa é criança na frente, eu e os animais no mesmo patamar...