9.12.05


O melhor da obra: três horas de musculação, trocando 3 mil volumes de livros de lugar. Esvaziei cinco estantes da sala. Outras são fechadas com vidro, felizmente! Mas nelas há uns 600 livros no máximo. O pior foi invadir os quartos das crianças para guardar os livros empilhados.
Ah, tem os DVDs também. E um monte de fitas de vídeo, que guardo, embora não veja mais vídeo. Já dei um bocado delas. Falta passar alguns filmes caseiros (dois ou três) com os meninos pequenininhos, lindos, pra DVD. E me desapegar das fitas do "Terceiro Homem", "Hair" (não encontro em DVD nenhum dos dois). Os CDs foram guardados, as plantas distribuídas pelo prédio.
As gatas estão indóceis, furiosas com tanta azáfama. Me seguem pela casa, com olhares acusadores, quando não tentam subir em meu colo, me arranhando.
E me vem à lembrança uma cena da "Guerra dos Mundos" do Spielberg que me fez gostar do filme (logo eu, que me angustio com esses temas): a família foge, de carro, e, pela janela, vislumbram uma pessoa empurrando um carrinho de supermercado coalhado de livros.
Acaba de ser descoberta nova - mas pequena - infiltração.
Chega o momento que atormenta qualquer proprietário de casa em obras: será que um dia isso acabará? Será que um dia eu voltarei a respirar?

2 comentários:

SilkSatin disse...

Eu ja estive em obras suficientes para me enjoar delas para o resto da vida.
Não teve casa ou apartamento que nós tivéssemos morado ou adquirido para férias em que minha mãe não tivesse resolvido demolir ou erguer alguma coisa.
Tinha até a piadinha da gente ir procurar casa ou apê, e no meio da visita perguntar pra minha mãe qual era a parede que ia ser derrubada.
Junte a isso o fato de que somos uma família cigana, moramos em pelo menos duas dúzias de lugares diferentes ao longo da vida, sem contar a casa de veraneio, a casa do sítio, etc...
Lendo aqui seus textos... você no meio da reforma e da poeira, toda lépida e faceira.. me dá arrepios.

Olga disse...

Ai, ai, Cintia, já estou na fase desesperada pelo fim da obra! Sim, porque ela também existe - é quando o dinheiro acaba e parece que os homens nunca mais sairão de sua casa...