10.3.06

Amélie ou Amélia?


Tô mais pra Amélie Poulin do que pra Amélia. Sou um desastre doméstico. Não sei cozinhar, o que tento oferecer a meus filhos nem eu consigo comer. Desaprendi a temperar macarrão. Boto roupa pra lavar e tiro um monte de panos de chão e tapetes de um balde com água sanitária que a faxineira deixou de molho. Lógico que todos adquiriram as cores dos demais. Com o remelexo da máquina de lavar, um dos baldes, que estava sobre a Sebastiana (a máquina), despencou, derrubando, em efeito dominó, dois outros que se equilibravam sobre o tanque. Resultado: área de lavar encharcada e nenhum pano de chão seco.
O jeito: sair pra comprar pano de chão no camelô, que é mais barato que no supermercado.
Não ter empregada é um desafio a ser enfrentado com galhardia por mulheres de classe média. Ah, acaba com as unhas, sim. Mas a economia é incomensurável...
Muito melhor é sentar e descrever os desastres domésticos.

5 comentários:

liniane disse...

Acaba com as unhas ! Esse é o ponto !! Te entendo. Liniane

Olga disse...

Pura verdade, Liniane! Dei um acesso de limpeza geral, lavei e esfreguei até os baldes de roupas, geladeira, cozinha e... minhas unhas se fueran, pobrecitas...
Volte sempre aqui! Um abraço

Juliana Aquino disse...

Hahahah
Somos duas!!!!!!!
Beijocas

Eduardo Graca disse...

Querida,

convenhamos, quando é que você teve, de fato, uma empregada doméstica?

Olga disse...

Maldade. Coitada da minha querida Vanúzia... Mas ela continuará aqui como passadeira.