27.2.07

Mais Oscar


Desde que perdi meus companheiros de maratona do Oscar - meus pais e meus padrinhos, com quem varava as madrugadas discutindo filmes e apresentações cafonas -, cumpro um ritual na entrega dos prêmios: telefonemas a cada intervalo comercial para dois amigos, Eduardo e Solange. Depois que Edu se mudou para o Brooklyn, os "que vestido era aquele da Nicole Kidman?" ou "Gente, essa Cameron Diaz continua com o mesmo descabeleireiro..." se limitaram a ser trocados com a Sol, que este ano foi passar um mês na Europa.
Ou seja, fiquei sozinha vendo aquele desfile de roupas e gente bonita, até que Júlia decidiu me acompanhar. Mas aí já não havia o melhor da festa: os comentários de Rubens Ewald, que é melhor do que Lecy Brandão apontando a Tia Sianinha ou Vó Miguelina das comunidades das escolas de samba. Antes que Júlia reclamasse que eu queria competir com o Rubens Ewald, declamando nomes de filmes e artistas nos clipes, Rubens fez suas habituais observações que dão alma à festa. Como Edu e Sol estão fora, coletei algumas pra eles, que o primeiro publicou em seu blog e que eu reproduzo aqui:

* Helen Mirren que se cuide! Existe uma síndrome do divórcio pós-Oscar. Foi assim com a que fez Menina de Ouro, com a Reese Whiterspoon... Se bem que só agora a Helen se casou com o Taylor Hackfort. Ela é muito liberal. Fez aquele filme... ai, não me lembro o nome agora.... com Peter O'Toole... Ah, Calígula!!!! Ela aparecia nua em Calígula, ela é liberal!

* Ela está com uma roupa de oncinha? A mulher do John Travolta está com roupa de oncinha????!!!!!

* Pode ser ainda que o Clint Eastwood engula o Scorcese. Pelo menos na altura, já que ele tem quase dois metros de altura e o Scorcese é pequenininho.

* Custei a reconhecer a Reese Whiterspoon. Cadê o queixo? O queixo dela chega antes.

* E a melhor, sobre a coitada da Penelope Cruz: "Não posso me conter: esta moça está muito sem graça! Muito mal arrumada, mal vestida! Isso não é roupa de vencedora de Oscar. Ela não está à altura de uma Sophia Loren... Uma cara de passarinho... Bem, ela só está aí porque namorou Tom Cruise, claro!"


*************************************************************

Observações tardias sobre o Oscar:

- Torci muito pela música da Melissinha. Aquelas cançõezinhas chatas de "Dreamgirls", tão bem feitinhas, prontas pra grudar no ouvido, só podem ser tão insuportáveis quanto a moça que perdeu o American Idol. Não a vi no filme (nem vi o filme, que só me levará ao cinema se a Júlia me arrastar), não posso falar de sua atuação como atriz. Como cantora, ainda deixa a desejar. O alcance falha em notas baixas e solta aqueles agudos insuportáveis, sem qualquer alma. Bem parecida com a Beyoncé, que é linda, tem uma vozinha agradável, mas falta volume, soul. Diana Ross tinha a alma e o feeling garantidos pelos backings das Supremes. Sem aquele apoio, restou o lamê. E a inspiração para servir como cover em shows de travestis,claro. Dá pra sentir a falta de estofo na trilha sonora de "The Wiz", onde canta a veteraníssima Lena Horne, na época com uns milhões de anos e um vozeirão que abafava até a beleza da Ross.

***********************


A dúvida que não quer calar: sofremos com o aquecimento global ou com o verão carioca, que deu ao Rio uma temperatura média até reduzida, mais parecida com a de Manaus que a de Teresina?

***********************




Só para não ser injusta e fútil, aqui estão o Scorcese e os demais premiados. Ah, o Hugh Jackman foi uma lembrança para a Sol, que nem deve ter visto o Oscar lá no Hemisfério Norte.. Porque a gente também fala dos moços bonitos, além das roupas, dos vestidos, da arte...

2 comentários:

Comentário Solitário disse...

Pensando bem, Beyoncé foi muito bem escalada para seu papel em "Dreamgirls". Há um momento do filme em que o personagem de Jamie Fox, empresário e marido da cantora na história, joga na cara dela: "Sabe por que eu escolhi você para ser a cantora principal do grupo, mesmo não sendo a melhor? Porque seu canto não tem personalidade nenhuma. Eu posso moldar você como eu quiser". Uma coisa meio a arte imita a vida, sabe?

Olga, "Dreamgirls" deve ser ainda pior na TV. Acho que é melhor ver no cinema ou não ver mesmo.

Tenho muita vontade de ler "Como a picaretagem conquistou o mundo". É bom?
Beijo!
Alexandre

Olga disse...

Alexandre, este trecho que vc citou até me trouxe um gostinho pra ver o filme...
A Picaretagem é maravilhosa! Acho que vou tomar seu exemplo e escrever uma resenha aqui no blog...
beijo!