1.6.07

A felicidade, by publicidade


Há um determinado horário em que as emissoras de TV fechadas abrem espaço aos comerciais de produtos ligados ao funcionamento do intestino. É impressionante o quanto surge de propagandas de iogurtes que, comprovadamente, acabam com a constipação das... mulheres, claro, o que, na cabeça genial dos publicitários, deve conferir um tom mais delicado ao tema.
Esses mesmos iogurtes, no passado recente da propaganda, eram utilizados como arma no combate à obesidade feminina, porque homem não tem esses problemas, não.
Além dos anúncios de iogurtes laxativos, há duas pérolas que se sobressaem atualmente dos demais comerciais. Um é aquele encantador filmete em que um menininho de, aparentes cinco anos, chega em casa informando à mãe que "quer fazer cocô na casa do Pedrinho", onde o banheiro foi equipado com um daqueles perfumadores ambientais horrorosos que incomodam qualquer passageiro de táxi. Detalhes: a voz do menino/dublador é insuportável; a idade da criança é de quem já vai ao banheiro sem auxílio materno.
A outra obra-prima publicitária é a conversa franca com as mulheres de meia-idade, que se inicia com a observação elegante: "Secura vaginal é um tremendo desconforto, não?". Desde o "incomodada ficava sua avó", esse sim um bom achado, não ouvia algo tão impactante e revolucionário...
Agora, bom mesmo é o anúncio de um produto chamado algo como "Hemorril", em que um homem diz à mulher que sofre terrivelmente com hemorróidas e ela, sorridente como numa propaganda de margarina, diz: "Amor, esqueceu de tomar seu hemorril hoje?" .

Definitivamente, preciso parar de ver televisão.

3 comentários:

Kristal disse...

Nunca sofri de secura vaginal. Ao contrário.

Kristal disse...

Nem precisei participar do grande desafio Activia.

Olga disse...

Quá-quá! Kristal, vc é um número!!
Beijo