25.7.07

Vida carioca - Um alerta


O movimento na Rodoviária Novo Rio, em decorrência do caos aéreo, criou nova categoria de assalto. A mãe de minha amiga Jô teve a cautela de pegar um táxi na Francisco Bicalho, para evitar a corja de bandalhas que se reúne no desembarque de passageiros. Não adiantou.
Mal entraram na direção do Elevado São Sebastião, o motorista parou para outro sujeito entrar. Sem falar nada, seguiu com o carro para Santa Teresa. Só a deixaram no destino final porque o celular não parava de tocar e ela disse que precisava entregar uma medicação à mãe, diabética.
Quando pararam em Botafogo, o ladrão cobrou R$ 40 pela corrida e disse que não tinha troco para a nota de R$ 50 que a mãe de Jô entregara. A esta altura ela já havia saltado do carro e arrastava sua mala para fora. Ele veio atrás dela e disse: "Péra aí, você não me pagou!". Aí, a mãe de Jô, extenuada, começou a gritar que não tinha mais dinheiro e a dupla de escroques se foi.
Ela não se lembra do rosto dos assaltantes, nem anotou a placa do carro, que, provavelmente, é falsa. Soube que o golpe tem sido aplicado nas imediações da Rodoviária, com a conivência de policiais. Se Scorcese morasse no Rio, o psicopata Travis(Robert De Niro, em "Taxi Driver") exerceria seu grau de justiça entre seis próprios pares.

7 comentários:

Eduardo Graca disse...

Já passei por momentos horrendos na Novo Rio. Ainda bem que não preciso mais passar por lá com a mesma regularidade. Que merda, hein? Ainda bem que todos terminaram são e salvos.

Olga disse...

Já me disseram que o golpe é antigo, e todo mundo tem uma história de bandalha pra contar. Mas esse tipo de extorsão é uma vergonha, além de ser perigosíssimo.

Rodrigo disse...

É por isso que prefiro - sei que nem todo mundo pode - ir até o terminal sujismundo lá de trás e pegar o 233 para casa.

Angela Ursa disse...

Olá, Olga. Não seria bom denunciar esse tipo de golpe para os jornais divulgarem? É um absurdo isso! Na última vez que estive no Rio e peguei táxi na Rodoviária, escolhi um daquela empresa que dá até recibo. Atualmente, a gente precisa ter cuidado com tudo. Um horror mesmo! Abraços da Angela Ursa

Olga disse...

A gente vive um dilema nesta cidade, Angela. Ou paga uma fortuna de táxi confiável ou corre o risco de se assaltada pelos bandalhas. Ou seja, somos sobreviventes do surrealismo total!
Já andei visitando vc anonimamente... Adorei sua vinda!
Bj

Olga disse...

Ai, Rodrigo, enfrentar aquele terminal é um ato de MUITA coragem...

Anônimo disse...

No sábado passado, um músico amigo meu, veio ao Rio se apresentar com a banda da qual participa. Na rodoviaria Novo Rio, tomou um táxi, que normalmente custa 16,00 até a minha casa, pq havia sido informado que não gastaria mais que 20,00. Só que o escroque do motorista cobrou 65,00 e diante do susto do meu amigo, disse que era por conta de uma obra que ele teve que desviar muito do trajeto... meu amigo "impávido colosso", ingênuo, primeira vez no Rio coitado, sem saber o que fazer e preocupado por estar diante do meu endereço, decidiu por segurança, pagar e pedir recibo pra me mostrar... mas o ladrão que dirigia o táxi achou fácil e fez mais... pegou das mãos dele 70.00, uma nota de 50 e outra de 20 e ao invés de devolver os 5 de troco (do assalto), disse que a nota que o meu amigo havia dado era de 5 e não de 50... Pasmem vocês! Meu amigo que nao tinha mais grana teve que me ligar, eu tive que sair de casa, receber o ladrão em minha porta, dar a ele mais 45,00! Naquela situação, com o ladrão olhando pra minha cara, sabendo meu endereço completo, eu moro sozinha, não tive escolha senão ser roubada também e me sentir impotente diante disso tudo, ao me arriscar a levar o escroto pra delegacia mais próxima, até porque era fim de semana e a situação fatalmente podia ficar ainda pior! SOCORRO!!! ASSALTO!!!