26.10.07

Convivência

Há cinco minutos começaram as rajadas de balas. Parecem ser tiros de fuzil-metralhadora, já que alguns disparos soam em destaque, como se procurassem o alvo cuidadosamente.
A escola de meus filhos orientou os alunos a voltarem para casa pela Voluntários da Pátria, alguns esperam que o tiroteio acabe no próprio colégio.
Muito parecido com "Longe - Memórias de um Líbano Recente", da brasileira Ana C.Leonardos. Ela foi conhecer Beirute com o marido, libanês, na década de 80, e diz que a população sabia identificar o tipo de arma utilizado pelo som dos tiros.
Assim como os cariocas.

5 comentários:

Jôka P. disse...

Olga, caramba, aí parece ser tão calminho !

Eduardo Graca disse...

não †á na hora de vc escrever o seu livro? De Costas Pro Santa Marta?

Olga disse...

O Santa Marta já teve seus dias de glória, em fins da década de 80, quando rolou uma guerra braba. Mas ficou quietinho por muito tempo. Agora, com a polícia querendo se mostrar a todo custo, já viu, né?

palpi disse...

Olga do céu! Que Deus proteja a todos vocês. É preciso ter uma cabeça muito boa para conviver com isso. Ou nem assim?
Beijo.

Olga disse...

Viver no Rio é isso. Não se sabe aonde se esconde o perigo.
Beijo, Palpita!