10.1.08

Procura-se um roteirista

... que impeça os políticos de falarem tanta bobagem.

O governador Sérgio Cabral parece que aspira sinceramente à sucessão de César Maia como o autor das mais infelizes declarações para criar impacto público. Depois de comentar que a liberação do aborto evitaria o nascimento de meninos carentes que poderiam enveredar pelo crime e de afirmar que a polícia fluminense não mata tanto (foram 1.200 mortos pela Polícia em 2007 nos chamados "autos de resistência", ou seja, tiroteio ou execução mesmo), o governador atacou os constitucionalistas contrários à proibição dos passageiros nas garupas de motocicletas.
Em tempo: a Polícia fluminense mata mesmo, os bandidos também o fazem, porém o Estado precisa promover uma reciclagem de seus agentes para que os policiais entendam que a função deles não é de executores à la Stallone Cobra.
Um governador não pode considerar pouco o número de 1.200 mortos em autos de resistência. Governadores também não deveriam pregar a subversão da lei como forma de combate a assaltos, embora essa medida tenha obtido êxito em Bogotá, que agora é referência mundial na redução de índices de violência. Aqui, se aplicada, a proibição iria gerar era mais assaltos a transeuntes.
Fazer o quê enquanto isso? Uma idéia seria um pouco de cautela antes de falar e não engrossar os arquivos dos boquirrotos que mantêm vivo o Festibal de besteiras que assola o país (Febeapá), criado pelo Stanislaw Ponte Preta.

3 comentários:

osrevni disse...

Precisa de um programa de reciclagem seriíssimo MESMO. A tradição de justiciamento e limpeza social das polícias brasileiras é coisa de gerações e gerações, vem da época dos capitães-do-mato. Precisa quase fazer lavagem cerebral nos nossos policiais e, de quebra, na nossa classe média, que dá pinotes de alegria quando ouve de um bandido morto a sangue frio.

PS: Mas competir como Cesar Maia é difícil... agora ele resolveu inventar o Rei Momo magro, onde já se viu...

Olga disse...

Vamos combinar que Cesar Maia é hors concours.
Apareça sempre, Diego!

Juliana Aquino disse...

Cabral Filho já tem um blog, ou melhor, um ex-blog? Pq tá faltando isso..
Beijo!