7.9.08


Então tá combinado. Assassino malvado de filme americano agora tem que usar cabelo chanelzinho pra compor o personagem. Foi assim que o Javier Bardem ganhou um Oscar no segundo filme dos irmãos Coen que eu achei chato (o outro foi com o Billy Bob Thorton, que eu adoro, mas o filme era um tédio previsível só). Prefiro as coisinhas engraçadinhas que eles fazem, como O Grande Lebowski, Arizona Nunca Mais e aquele do George Clooney cantando blue grass (O, Brother, where are thou?, creio).
Mas o filme acima nem é dos Coen, então, não há risco de eu assistir mesmo. Sim, porque eu continuo achando o Nicholas Cage a pior produção do Coppolla. Outro dia vi um filme com ele na TV. Era um horror, de terror, mas tinha a Ellen Burstyn e eu adoro a musa. Até que foi bonzinho, no fim ele era morto por uma seita daquelas que acredita em Mãe Terra céltica e todo mundo bota cabeça de bode para saudar o solstício. O melhor do filme era o canastra sendo morto.
A foto é de um novo produto Cage, em que ele é jagunço com missão de matar gente em Bangkok. Deve ser ruim de ver até na TV.

3 comentários:

Ricardo Cabral disse...

"eu continuo achando o Nicholas Cage a pior produção do Coppolla"

Apoiado, hehehe!
E tb não morri de amores pelo "Onde os fracos não têm vez", dos Coen, ainda que tenha gostado de todas as atuações.

P.S. Mudei de endereço, viu?

Milena disse...

Hahaha!

Eu nunca tinha pensado nisto!
Mas realmente Nicholas Cage é bem ruinzinho!!

Beijo.

Miguel Andrade disse...

Nem tinha terminado de ler o post e já suspeito que vc se referia a O Sacrifício... Refilmagem tosca do espetacular O Homem de Palha, como Christopher Lee e Ingrid Pitt. Aliás, nem vi esse remake, mas pelo que me contaram, o que o outro trata com respeito (a seita pagã) no novo virou clicheteria sem fim.