12.2.09

40 mil visitantes

Quando a gente chega a um número significativo de visitas ao blog, deve fazer uma reflexão.
Enquanto muito da vida atual é dedicada ao cumprimento de regras, horários e, principalmente pagamentos, há sempre uma parcela de descaso e desrespeito a tudo o que se faz apenas para garantir a sobrevivência. Blog é isso, absolutamente desnecessário, umbiguista, reflexivo, válvula de escape do exibicionista que se esconde sob todos os tímidos.
Falar do dia-a-dia, postar imagens bonitinhas, reclamar do governo, tentar alcançar as massas de alguma maneira... O blog suscita isso tudo, mas sempre traz a frustração de se perceber o quão pouco interessante são suas próprias opiniões. Afinal, blog que dá ibope é igual a revistas de celebridade: todo mundo finge que não lê, mas acompanha avidamente, nem que seja no salão de beleza, as fofocaiadas envolvendo aquele povo pouco cerebral e muito visual. Ou igual a reality show.
Meus amigos mais próximos ignoram solenemente meu blog. Mantemos ainda o anacrônico hábito de conversar longamente, por telefone ou vis-a-vis. Vez por outra, entram no blog, mas sempre com cerimônia, como se aqui fosse uma gaveta que abre segredos constrangedores sobre nossa intimidade.
Não é. Blog é público, um espaço que até comporta tristezas e desabafos, porém nada que precise ser mantido em sigilo. Porque segredos, é claro, tenho - e muitos. Tinha até para minha analista, então...
Houve época em que eu rastreava cada visitante do blog. Hoje, espero as parcas manifestações sem ficar ansiosa.
Esta não é uma obra aberta. É um canto desarrumado, indefinível, mas indispensável, de minha necessidade de registrar a vida.
E também de postar imagens fofinhas, como a da Bella em um de seus postos favoritos: sobre os velhos LPs, atualmente conhecidos como 'discos de vinil', que mantenho expostos, porém intocados, na estante da sala.

5 comentários:

Halem Souza disse...

Pois é, o blogueiro é motivado por certo exibicionismo. Mas por outro lado, esse tipo de interação promove outras formas de sociabilidade (evidentemente que inferiores aquelas "anacrônicas" que você mencionou).

Que outros 40 mil visitantes descubram esse blog.

Um abraço

Olga disse...

Halem, que doçura, você!!!
Esqueci de falar do lado maravilhoso que é conhecer tanta gente, tão distante geograficamente, de maneira virtual.
Gente como vc!!!
Beijo

Monica Araujo disse...

Pois é , sempre gostei muito de ler e escrever também , por achar que me falta domínio da Língua Portuguesa , sempre fui insegura , portanto ao contrário de muitos blogueiros procuro não expor muito o meu blog, mas continuo escrevendo. Primeiro queria criar um formato , depois seguir uma única linha de assunto , depois queria que ele tivesse um bom nível , para ser bem freqüentado e hoje apenas escrevo o que der na telha motivada somente pela minha emoção. Meus amigos também não freqüentam meu blog, mas já andei recebendo algumas visitas como a sua por exemplo que valem por 200 amigos meus , pelo fato de ser uma jornalista e de ter um blog tão legal , tão culto , além do que a grande oportunidade de conhecer outros grandes escritores , tipo Eduardo Goldenberg ou o grande professor Simas, do Histórias do Brasil, ou o Zé Sérgio lá do Quem é vivo sempre aparece, onde até tive notícias de um velho conhecido meu. Adoro esta comunidade. Beijos e parabéns.

Jôka P. disse...

Você parece que traduziu os meus pensamentos bloguísticos nesse post, Olga !
Bjs e parabéns, que venham 400 mil visitas !

Olga disse...

Mõnica, imagina, meu blog não tem a menor pretensão de ser uma meca intelectualizada. Quem me dera ser uma erudita! Acho delicioso haver tantos blogs diferentes na Web. Mostra pessoas pensando de formas diversas, vivendo intensamente e ainda querendo se comunicar, se abrir pro mundo.
Jôka, quem me dera chegar às 400 mil visitas - algo que vc já ultrapassou há muito! Afinal, o Av Copacabana é mara, né?
Beijos aos dois