5.7.09

Uma mulher foi assassinada esta madrugada, a metros de minha casa.
Soube hoje de manhã.
Professora universitária, especialista em computação.
Manobrava o carro, foi abordada por três assaltantes e morta a tiros. Policiais mataram um dos bandidos e feriram os outros.
Leitores do Globo On Line pedem a esterilização de pobres e o extermínio dos bandidos. Como se isso fosse resolver essa violência que tentamos não enxergar, a cada dia, a cada esquina, a cada silêncio da noite.
A mulher morreu quando eu adormecia. Sua morte choca porque é na Zona Sul e aconteceu com uma "de nós".
Enquanto isso quantas mulheres morreram esta madrugada, na Baixada?
Mortes lamentáveis, evitáveis.
E que continuam se sucedendo, sem qualquer ação consequente das autoridades. O momento não é de discussão, mas de ação.
Medidas discutíveis, porém eficientes, têm sido adotadas fora daqui. Restrição à venda de álcool após determinados horários é uma delas. Disciplinar uma sociedade que se desacostumou a regras é difícil e vai além do recolhimento de carros cujos proprietários não pagaram impostos extorsivos como o IPVA.

Um comentário:

Monica Araujo disse...

Pois é Olga , lamentável, dá medo de viver a vida , dá medo demais!