25.8.09

J'accuse Tupiniquim

Alertada por Marcelo Tas, no CQC, me animei a assistir a espinafração pública que Eduardo Suplicy passara em José Sarney.
Que cena patética. O senador Suplicy, incisivo, não difere muito do senador Suplicy conciliador.
O Suplicy é um gentleman, é correto, bonito, mas ... que falta de sal e malemolência.
Até Sarney cresceu em cima da indignação dele.
Tudo bem que Suplicy estava certíssimo: depois de tantas acusações, o imortal autor de Marimbondos de Fogo usa a tribuna para falar de Euclides da Cunha?
Foi o bastante para Sarney se indignar contra o ataque à memória de Euclides da Cunha. E ainda dizer que J'Accuse, invocado por Suplicy como atitude a ser imitada, foi escrito por Emile Zola exatamente para defender Dreyfuss de acusações infundadas.
Bonito ver dois senadores da República deitando erudição!
A massa de eleitores não entendeu nada, assim como, provavelmente, boa parte de seus pares.
Só viram dois senhores trocando mesuras polidas, como lordes do Parlamento inglês. Mas sem um mínimo exigido de indignação latina.

Um comentário:

Halem Souza disse...

Mas ia ficar mais patético ainda com o cartão vermelho que já virou piada em Brasília (aliás, o que não vira piada por lá?)