8.12.09

Sem luz própria


Por viver na província de Botafogo, aprendi a ser estoica. Cada vez em que falta luz, imagino como seria ser parte da foto de minha rua, registrada por Marc Ferrez há mais ou menos 100 anos. Eu estaria, certamente, de sombrinha, correndo para algum lugar, atarefada.

Hoje não faltou energia propriamente. Caíram fases, me explicou o moço da Light, que indagava, interessado: "Chove muito onde a senhora mora?". Ri. "Moro no Rio, meu filho".

Aqui chove, venta, faz um calor canino, cai temporal, inunda tudo. Não é bem uma região de fenômenos da natureza comedidos. A natureza é explosiva, exuberante, escandalosa, me deu vontade de dizer ao guri.

Uma diligente equipe da companhia permaneceu aqui em meu quarteirão por mais ou menos nove horas. Enquanto isso, tomei banho à luz de velas, levei o computador para a sala - algumas tomadas funcionavem -, escrevi matéria, gravei em CD e levei para um cyber café onde difícil foi conseguir um PC que tivesse drive para CD. Enviei a matéria, dediquei-me a diversos outros afazeres e, retornando à casa, encontrei tudo devidamente energizado e iluminado.

Isso até a próxima chuva, a queda de um relâmpago, um tufão, muito calor, muita água, granizo...

Garanto que o Santos Dumont também estava fechado para pousos e decolagens.

2 comentários:

Tertúlias... disse...

Voce sabe que eu sinto falta destas loucuras do tempo carioca? Eu estudava perto d'aí, na Rua das Palmeiras... Que foto linda esta da sua rua... é a Sao Clemente? Ou é a Voluntários? (SEmpre confundo as duas). De qualquer forma linda, linda... Existiam casaroes imensos lá... velhas embaixadas... einda existem? Saudades de Botafogo... e do armazém na Rua das Palmeiras onde comprávamos "bala Boneca". Que saudade... E quando chovia lá... falo dos anos 70... Nossa, inundava tudo... a gente nao podia nem pegar onibus... Aquelas situacoes "Apocalipse Now" do tempo carioca, sub-tropical... Tem uma leitora do meu Blog, Marcia, que também mora aí por perto! (E voce, Olga, mesmo morando em Botafogo torce pelo Flamengo???? Hi hi). Beijos Ricardo

Olga disse...

Ricardo, querido, eu fui criada em Ipanema, mas em Botafogo encontrei um apartamento grande o suficiente para abrigar minha prole. Acabou que aqui estou há 21 anos e, pasme, meus filhos adoram Botafogo. Continua inundando igualzinho à década de 70. Há relatos de inundações no século XIX, quando se amarravam cavalos aos postes e cercas da Voluntários - que devia ter outro nome, então.
A foto é da São Clemente.
E em Botafogo, só tem flamenguista e tricolor.