9.5.05

Afinal, o que deve ser um blog?





Tem tanto blog sério, informativo, filosófico, consistente na Web que eu fico cada vez mais constrangida em estar na rede. Diário eu tenho em cadernos, volumes intensos e extensos, que me acompanham há ... 33 anos, com um grande intervalo de uns bons 12 anos, período em que me casei, tive filhos, voltei a escrever, me separei, me anulei pras palavras, vivi muito e voltei a escrever quando estava com família em transição e mãe morrendo. Ou seja, a vida intensa, a escrita dispensa.
Passou tempo e fui entrando em comunidades de internautas para reencontrar amigos dispersos no mundo. Até chegar ao Multiply que eu achava uma chatice metódica, perfeito para pessoas organizadas como meu guru da Web, Ivson Alves. Mas comecei a ler textos interessantes, de gente interessante e inteligente, com as quais estabelecia diálogos agradáveis. Pois não é que foi no Multiply que soltei a franga, botando pra fora observações diárias que têm muito mais impacto escritas que faladas - além de boquirrota, sou péssima oradora, sarcástica em demasia para ser levada a sério. Do Multiply nasceu o Arenas Cariocas, que seria apenas um back up do primeiro, pois a cada mudança de estação, há um novo zoneamento (no sentido de bagunça mesmo) de caracteres, o que exigia a republicação de cada texto infeliz lá postado. Agora o Multiply anda cheio de gracinhas, enfeites, textos coloridos, tudo para personalizar o que era arrumadinho e burocrático.
Nesse meio tempo, transformei amigos virtuais em reais, o que é a grande conquista da Web para mim. E o Arenas foi conquistando seus leitores, como a Marina, que detesta entrar no Multiply. No Arenas, não espero resposta a minhas observações. No Multiply, não, a gente sempre escreve pra ser lida e comentada. Do jeito que sou neurótica, é o tipo de ambiente que eu deveria evitar, já que me acho abaixo de um Golum quando ninguém fala nada sobre os textos - o que ocorreu algumas vezes. Imagina o que isso faz pra minha baixíssima auto-estima? Pra não ecoar, tenho diário em casa, ora! Na Web, quero estabelecer diálogos. E no Arenas, ninguém tem muita paciência pra deixar comentários, fala direto comigo. E, incrivelmente, começo a produzir textos dentro do formulário do Arenas para depois passá-lo ao Multiply. Já estou tão insuportavelmente dominando os veículos, que escolho o que será mais apropriado para um que para o outro...
Admiro muito quem consegue manter um blog objetivo sem cair no umbiguismo. O Ivson tem o Coleguinhas e outros jornalistas também fazem blogs temáticos. O meu ... é como minha casa - paredes amarelas e vermelhas, com infiltrações, bichos, plantas, crianças, livros, discos, tudo mais ou menos armazenado, mais ou menos organizado, embolados em paixão.

2 comentários:

Anônimo disse...

Simplesmente adorei seu blog!
acho que a web veio para fortalecer a amizade das pessoas mesmo à longa distância...Prefiro as vezes ter esses amigos virtuais que amigos de contato. E aqui posso publicar as coisas que sei e sinto sobre a vida.

Meus parabéns
PS: Por favor visite meu blog e deixe comentários!
http://caesegatos.weblogger.com.br

Olga disse...

Vou visitá-lo, sim! Volte sempre!