26.12.05


A meus filhos, meu desejo de Natal é que vivenciem amores intensos, quebrem barreiras, fronteiras, o gelo da alma intimidada pelo pavor do desconhecido.
E que esses amores não se expliquem, apenas existam, cresçam, se frutifiquem, arriscando tudo para que se eternizem e banalizem a dor de enfrentar o mundo.

Um comentário:

Marilia Mota disse...

É isso aí, desejo o mesmo para minhas filhas, para você, para mim, que essa seja uma disposição permanente, porque é preciso ter coragem sempre, e cair dentro, não tem outro jeito, e é assim que vale a pena.