20.10.06

Sanatório Geral


Vai acabar sobrando pra imprensa, claro, toda essa maracutaia de delegado da PF entregando fotos para repórteres. O conteúdo do dossiê que valia tanto dinheiro não interessa a ninguém, já que o crime maior seria a compra de tais informações.

Igual à mulher que reagiu a um assalto aqui no Rio, atirando no ladrão. Enquanto responde judicialmente pelo delito, ganha medalha Pedro Ernesto da Câmara Municipal, honraria concedida a quem preste serviços a cidade.

Não quero nem discutir se ela estava certa ou errada quando deu um tiro no assaltante.
Mas a Câmara deveria ser um pouco menos pródiga na concessão de medalhas.

Pedro Ernesto, coitado, tentou ajeitar esta cidade enlouquecida, que, nos anos 30, já exalava odores de gordura velha e de lixo acumulado nos valões. Virou político porque era médico de Getúlio Vargas, ficou popular por sua bela atuação como prefeito da cidade, onde construiu escolas e hospitais. Queria a autonomia municipal do Rio, então distrito federal. Era época de discussões ideológicas e suas idéias acabaram associadas aos comunistas, o que o levou à cadeia. Depois de uma boa temporada de prisão, afastou-se da política.

Não é a cara do Rio?

4 comentários:

Jôka P. disse...

Agente comenta, comenta...e PUFF !
Some tudo !
Argh !!!

Jôka P. disse...

Seus posts só começam a aparecer debaixo do calendário pulp-fiction do Bruce Willis.
Isso é um novo fetiche virtual ?

Sidnei Ribeiro disse...

E não é que a dona recebeu a medalha e acabou declarando que é favorável à "exportação" de mendigos? Pobre Pedro Ernesto!

Olga disse...

IH, Jôka, será que isso está acontecendo com todo mundo ou será incompatibilidade deste design com seu computador?
Aconteceu isso uma vez, depois normalizou-se, lembra?
Acho que vou excomungar o Bruce Willis. Está me causando problemas horríveis com tanta violência.
Beijo