13.11.06

Ainda Cândida


A meus amigos queridos, informações relevantes:

- Mais uma vez, tenho que me virar pra blogar, escrever, trabalhar. Este PC zinho está dando mostras de cansaço absoluto e sinais de falência múltipla dos órgãos. Afinal, tem quase seis anos de vida. Em tempos modernos, isso não serve nem como tempo de duração de casamento de celebridades, quanto mais de eletrodoméstico. (Alguém viu as últimas fotos do casal Brangelina, passeando com os filhinhos pela Índia? Depois de tanta promoção, inclusive com a produção de um bebê próprio, os dois se mostram bicudos - o que, convenhamos, é fácil pra ela; parece que a relação vai pro mesmo brejo que o fugaz casamento de Britney Spears. Fim do parênteses Contigo/Caras)

O que pifou agora no bravo PCboso - o driver do mouse e o do teclado - já havia dado umas boas tossidelas em tempos atrás. Agora, parece que já era. Assim como o driver do CD-Rom. Toca, vê, mas não grava.

Sei que é o momento de me desapegar desta máquina que tantos bons serviços me prestou. Acontece que não tenho COMO arrumar outra. Está sendo dramático escrever qualquer coisa, pela simples razão de que sem o mouse não sou quase ninguém. Então é um tal de plugar e desplugar as conexões pra utilizar mouse e teclado separadamente, o que se torna bastante confuso na maioria das vezes e atrasa meu serviço.

Se eu não estivesse trabalhando muito - felizmente -, não haveria tanto problema. ARRRRGGGGG!!!!!! Odeio tecnologia que falha!

- Como este ano aprimorei meu estoicismo, ficarei no plug, replug, desplug até o moço do computador conseguir vir trocar os drivers ou decretar a caquexia absolura de meu PCbento. Mas tô cansada de viver na gambiarra.

- Para todos os estetas, que torcem pela modernização do visual de uma mulher que está mais pra banhista de Renoir do que para Venus de Milo, um alento: iniciei um projeto de caminhadas. Só houve uma ontem, outra acontecerá amanhã, que hoje, com os drivers that drive me crazy não pude abandonar ainda meu home office.

Um comentário:

Sonia disse...

Falhar na hora em que masi precisamos é da natureza da tecnologia.