13.11.06

Gambiarra


O termo vem do teatro, segundo o Aurélio. Sempre conheci como aquela fileira de lâmpadas que fazem as árvores de Natal do Aterro ou que iluminam as festas de São João. O termo é lindo e atualmente tem diversos significados, entre eles mulher feia. O mais comum é um remendo, feito por mecânicos de automóvel ou eletricistas.

Minha mãe era especialista em gambiarras. Nutria uma paixão secreta por instalações elétricas, sentava-se no chão e ia pregando fios nos rodapés até chegar a uma tomada, que recebia benjamins, outros fios cortados e colados. Tomava choques e, no fim, os fios ficavam invisíveis e os eletrodomésticos funcionavam perfeitamente. Ela era mestre em consertar descargas quebradas também. Papai, filho de pedreiro, nunca se habilitou a esses trabalhos de handy man. Sua única participação no setor de ajustes domésticos era trocar lâmpadas (e varrer cacos de vidro. Ele tinha pavor de cacos de vidro, se um copo se quebrava, rapidamente se apresentava, vassoura e pá em punho). Sempre se prontificou a trocar carrapetas de torneiras, distribuindo artisticamente ferramentas em torno da área a ser consertada. A exposição durava dias até que alguém pedia ao porteiro para resolver o problema.

Sou uma negação neste tipo de serviço. Meu negócio é decoração e urbanismo, trocar plantas de vasos e furar paredes para botar prateleiras ou quadros. Tenho absoluta fascinação por loja de material de construção, sempre preciso comprar porcas, parafusos, ferramentas - preciso mesmo, descobri que só tenho três chaves de fenda em casa. Pois não é que depois que eu desisti de arrumar os plugs do computador e saí triste para trabalhar, minha filha, honrando a tradição feminina da família, montou uma gambiarra que permitiu o funcionamento do equipamento. Pegou um teclado antigo, ligou no plug redondinho, fixou com fita durex, prendeu o plug do mouse no local correto e... tudo ficará assim até eu comprar - amanhã, espero - a espécie de benjamim para drivers recomendada pelo moço do computador.

A menina promete!

4 comentários:

Lia Noronha disse...

Olga: vc será sempr e benvinda no meu Cotidiano...que tem muita carioquice nas veias,ok?Beijos com carinho

Sonia disse...

Meu filho era meu especialista em gambiarras. Agora que ele está morando fora do Rio o posto está vago. Vou contratar você ou sua filha quando precisar (rs).

Gigi P. disse...

Olga, obrigada por sua visita ao blog di Jôka e pela mensagem de felicitações por ocasião de meu aniversário.
Gigi

OMM disse...

Lia, seu cotidiano é lindo!!! Vou sempre, e com muito prazer.
Sonia, já sabe: as rainhas da gambiarra estão prontas a servi-la, mesmo estragando as unhas...
Gigi, adoro o blog do Jôka, e o carinho que ele mostra por você contagia todos os amigos que ele faz através da Web.
Beijo a todas!
Agora assino OMM, porque o Blogger pirou completamente.