31.5.08



Eu sou carioca com toda a alma, mas jamais me identifiquei profundamente com o verão. Gosto do sol, não da canícula. Até porque não é na praia que a maioria da população está, e sim na labuta.
Então chega um dia como hoje, em que, ainda na recuperação da maldita maladie, envergo um esquecido roupão quadriculado, que está novo de tão pouco usado, sento à máquina para entregar um trabalho e sinto aquele desejo intenso por uma deliciosa sopa de batata baroa, legumes, ervilha, qualquer que seja...
E a gente se sente confortável como uma mulher de Matisse.

6 comentários:

palpi disse...

Senti um bem-estar imediato. Gostaria de ter uma dessas bem grande por aqui.

Jôka P. disse...

Que chique !
Você foi casada com Matisse ?

Olga disse...

Fui, claro, na encarnação passada. Ele fez uma série de odaliscas inspiradas em mim...

Kristal disse...

Fui amante de Picasso.
O mestre espanhol se inspirou em mim para a série de mulheres cubistas.

Kristal disse...

Também já tentei andar com Dali, mas Gala me encheu a cara de bolachas e fui parar no Pitangui.

FreakShowBusiness disse...

Ah, eu odeio o calor. E não consigo gostar do Sol. Me incomoda muito sentir os raios me queimando e esquentando. Dia lindo, pra mim, é aquele em que o céu está totalmente branco, com vento e frio.