2.12.08


Precisamos correr atrás de dezembro, aquele mês que é menor do que fevereiro e que começa acabando.
O motorista do táxi, bufando porque me levava a Santa Teresa, comentava, "Já estamos no Natal". Para ele, ninguém deve subir a Santa Teresa no Natal.
Mesmo que ainda estivéssemos no finzinho de novembro.
O tempo urge, o tempo voa, o comércio é ansioso como pré-adolescentes.
Precisamos armar a árvore, comprar presentes que desagradarão a quem os receberá com sorrisos amarelos, enquanto balbuciamos "Não repara, é só uma lembrancinha" (custou 56 reais no cartão, vou morrer em janeiro pra pagar IPTU e o desgraçado nem gostou...), ganhar produtos do Saara que repassaremos à empregada ou ao porteiro, ai, tem que comprar o presente do porteiro, da manicure, da diarista, da avó, enfrentar o stress do reveillon (em casa, em Copacabana, na Lagoa, off-Rio), as maratonas de filmes natalinos na TV.
Por que dezembro é tão apressado?
Eu queria um dezembro que me deleitasse.

2 comentários:

freakshowbusiness disse...

ainda assim, adoro dezembro, exceto pelo calor.

Diz disse...

Olga, obrigada pela visita. Temos almas próximas, tudo que li aqui bateu em mim e poderia concordar.
bj Laura
PS: os taxistas em dez. cobram mais tb, por isso gostam, é bandeira 2 o dia todo :)