7.2.09

Lá vem o Oscar II - O Leitor


Kate Winslet deve ganhar o Oscar este ano. O prêmio tem lá suas peculiaridades. Entopem um ator de indicações óbvias (Glenn Close em Atração Fatal, Glenn Close em Ligações Perigosas), mas nem sempre eles ganham então. O prêmio virá, quando vem, por um filme pequeno, inexpressivo, que só vale pela interpretação do ator. Foi assim com a Jessica Lange, que deveria ter ganhado por Frances, mas acabou premiada por um filminho do qual nem me lembro o nome. Os que jamais ganham Oscar, acabam agraciados na velhice, pelo conjunto da obra, como o Peter O'Toole. Certamente isso acontecerá um dia com a Glenn Close.
Kate Winslet é linda e sensível. Já li cr[íticas entusiasmadas por seu desempenho no Leitor, que tem também o impecável Ralph Fiennes e um menino muito bom, David Kross. A história eu já conhecia do livro - que achei um pastiche de Radiguet com relatos de alemães purgando a culpa pelo nazismo. Um rapazote de 15 anos se envolve com a mulher que o ajuda na rua, quando ele está passando mal. Anos mais tarde, estudante de direito, descobre que a mulher, que havia sumido de sua vida, fora carcereira de campo de concentração nazista e culpada pela morte de diversas prisioneiras. E La Winslet se cobre de maquiagem para envelhecer uns bons 30 anos ao longo do filme, sempre com um semblante que se alterna entre estupefato e severo. Ah, tem também o olhar tristonho e o sorriso deleitado.
Mas como bem disse Ricky Gervais na entrega do Globo de Ouro, é só fazer um filme de holocausto que os prêmios surgem. E ela sai como favorita pro Oscar. Tem ainda a seu favor a maquiagem, que já rendeu prêmio pra Nicole Kidman.
O filme? Pior que o livro, pois ainda tem os arremates emotivos de Hollywood.

Um comentário:

FreakShowBusiness disse...

Poxa, eu gostei tanto do filme...