7.3.09

Excomungado

"Excomungado", quando eu era criança, só ouvi minha babá, Maria, falar. Xingamento que acompanhava todos os sinônimos possíveis para "desclassificado". Naquela época de inocência, eu era católica, mas jamais apostólica ou romana. Achava os atos dos apóstolos o livro mais chato da Bíblia, minha literatura durante o decoreba do catecismo - a única aula em que eu podia ler sem ser incomodada pela professora (houve um tempo em que ler era proibido em sala de aula! Eu me lembro do dia em que acabei um exercício de Biologia e puxei uma revista, por baixo da carteira, para ler enquanto não voltava a aula. A revista foi apreendida por D. Ruth, a professora, que só a devolveu quando tocou o sinal. Hoje, tenho certeza, ela se congratularia por alguém estar quietinho, lendo no seu canto). E era muito mais grega que romana.
Agora, num mundo totalmente laico, ouço a indignação de quem soube da excomunhão dos envolvidos no aborto dos bebês de uma menininha de 9 anos, estuprada pelo padrasto em Recife. Não quero nem discutir se o aborto era conveniente, moralmente aceitável, o melhor para todos etc e tal. Só acho que qualquer um que faz aborto - grávida, médico ou "entendida" - está careca de saber que a Igreja condena veementemente o aborto. Então, indignar-se com a excomunhão é ridículo. Tão ridículo quanto o bispo que excomungou todo mundo, menos o padrasto estuprador. Este não cometeu um pecado tão grave quanto o assassinato dos bebês, diz ele.

Eu, hein? O pivô de tudo, que é esse padrasto pedófilo, tarado, que cometeu um crime bárbaro, não merece a excomunhão também? Não que eu ache que excomungar tenha alguma importância pra quem entrou nesse imbroglio, mas, convenhamos, o tarado não merecia apenas a prisão. Porque excomungado ainda é um bom xingamento. Aliás, é só um xingamento. E mais nada.

Um comentário:

Monica Araujo disse...

Olga,
minha mãe e suas irmãs como boas Pernambucanas que são , vivem excomungando a familia inteira e ninguém morreu por isso.

O mal da igreja , são os homens, o CLERO. A comunidade católica na verdade não pensa e não age de forma tão imbecil como eles se manifestam quando estão nos holofotes, no meu blog reproduzi o texto na íntegra da freira Ivone Gebara que achei em um jornal, onde define exatamente o que penso e o que conheço da Igreja. !!!!Bjs