26.6.09

Buscapé


Cresci com Michael Jackson, um garotinho com voz aguda, que pensei ser mais jovem que eu por muito tempo - até que ele revelou que o pai o fazia enganar a idade para ser mais engraçadinho. Não era fanática pelo Jackson Five, mas gostei de Ben. Ele me chamara a atenção cantando I saw Mommy kissing Santa Claus, quando eu tinha uns nove, dez anos. É minha lembrança mais antiga dos Jackson. E depois veio Got to be There, I'll be There, ABC.
Por algum tempo, houve silêncio. Jermaine Jackson fez sucesso com uma canção cujo nome esqueci - mas que até comprei o disco, um compacto. E Michael, rapazote, aparentemente, foi completar o elenco de The Wiz, ofuscando a Dorothy de Diana Ross como o Espantalho. (Confesso: eu gosto das músicas do filme, adoro a Lena Horne cantando e amo o Michael Jackson dançando desengonçado. Sidney Lumet deve ter amado também, pois escolheu a seqüência dele para os créditos...);
E então apareceram Rock With You, Don't Stop Till You Get Enough, The Girl is Mine (o dueto com Paul McCartney foi a primeira música de trabalho do álbum Thriller, que emplacou nem sei quantas faixas em compactos), Billie Jean, e o resto é história. Enquanto o mundo dançava, Michael Jackson embranqueceu, mudou de feições continuadamente, ficou cada vez mais andrógino, casando-se com mulheres e tendo filhos por inseminação artificial, tudo entremeado por acusações de pedofilia. A voz transformava-se em silvo, o vigor desaparecia. Deu tempo ainda de dançar no Santa Marta e no Pelourinho. Lógico que o preto mais branco dos EUA tinha que virar carioca e baiano.

Escolhi imagens do Michael Jackson pré-escândalos e no auge do reconhecimento de crítica e público para recordá-lo, ainda antes do tempo em que se banhou no mesmo rio que clareou Macunaíma, quando era mais bonito e menos artificial. O maior produto da indústria do entretenimento mudou de etnia, tinha uma sexualidade ambígua e se extingüiu como um buscapé de festa junina.

3 comentários:

Monica Araujo disse...

Fiquei triste as pampas Olga, nem imaginava que ficaria tanto!

Monica Araujo disse...

Olga , você já se entendeu com o Twitter ?? Me dá uma ajuda !!!!

Jôka P. disse...

Tadinho, ele tinha tudo pra ser feliz, talento, sucesso e grana, mas acabou sozinho, viciado, neurótico, decadente e deformado. Se matou. Foi a forma que encontrou pra ter a juventude eterna: morrer antes de envelhecer.

Acabei de ler no Terra uma entrevista daquela "mãe dos filhos" dele... ela afirma o que eu já estava mais do que óbvio: nenhuma daquelas crianças lourinhas é filha dele. Foram geradas por doações de esperma de outros homens. Dãn !