17.9.09

Horror

Mais um tarado que violentou a filha durante 30 anos, gerando quatro crianças. Desta vez, na Austrália.
E nas mensagens do Globo On Line entra um evangélico para dizer que tal atitude é coisa dos demônios que habitam os corpos. Dá seu exemplo. Fumava dois maços por dia. Deixou, depois de uma bênção de um pastor.
Olha, já é difícil para mim acreditar na divindade do filho de uma mãe solteira judia. Aliás, acho que os nazistas jamais refletiram sobre a origem do deus dos cristãos. Jesus era judeu e jamais renegou sua religião. Enfim, não tenho fé, mas não posso atribuir comportamentos doentios ou vícios ao Capeta. Tenho uma amiga que diz que não pode parar de fumar nem de beber porque há uma Pomba Gira cruzando seu caminho. Seja lá o que isso quer dizer, para mim esta é a melhor de todas as desculpas que já escutei para justificar a necessidade por tabaco e álcool de um ser humano. Será que esses espíritos, das trevas ou da luz, não têm mais o que fazer do que ficar infestando corpos?
Os leitores on line pregam a castração do tarado. Existe castração química hoje em dia. Não há necessidade de extirpar órgãos. Isso não seria minimizar a culpa desse sujeito sem respeito pela própria família? Não seria conferir a ele muito poder? Afinal, se não for contido em sua bestialidade, é um perigo para a sociedade?
Ah, a vida às vezes é muito besta.

4 comentários:

Halem Souza disse...

"Filho de uma mãe solteira judia"???...hehehe....gostei dessa!

Também acho uma infantilidade atribuir comportamentos tidos como condenáveis ao Demo ou qualquer outro ser fantástico.

É, e a vida (quase sempre) é muito besta.

Um abraço.

Jôka P. disse...

Filho de uma mãe solteira judia e... virgem.

mulherpolvo disse...

Fico pensando o que esses sujeitos pensam (ou não) para fazerem isso a suas p´roprias filhas.
E coitado do capeta!! Ele não tem tempo de incutir tanta maldade nos corações terráqueos... Essa maldade é nossa mesmo. E se bobear, é a gente que fica atazanando ele!!!
Mas voltando aos tarados que comem suas crias, será que isso sempre houve e não sabíamos?
Quantos porões de quantas casas não abrigaram adolescentes escravizadas e silenciadas por seus pais, padrastos, tios ou avôs?
Não vou falar hoje em que acredito. voc~e ainda nem me conhece. Pode pegar mal...rsrsr

Olga disse...

Sempre houve o incesto. E continuará acontecendo, porém, a gente pode se indignar, denunciar, inocentar as vítimas - que sempre, nesses crimes, são consideradas provocadoras do mal que sofreram.
Para evitar, há que se punir essa gente sem qualquer respeito por nada, sequer por quem trouxe ao mundo.