13.6.14

Antônios, nem sempre santos

Porque hoje é o dia do Santo mais casamenteiro do Brasil, uma relação de Antônios, nem sempre bons de olhar, mas sempre ótimos de se ler, ver, apreciar.


Antônio Carlos Gomes, compositor.
 Antônio Torres, escritor.


Antônio Callado, escritor, jornalista.

 Antônio Houaiss, filólogo, escritor, tradutor, ministro da Cultura.


Antônio Menezes, violoncelista.

 Anthony Bourdain, cozinheiro.



Anthony Giddens, sociólogo.


João Antônio, escritor.


Antônio Bernardo, joalheiro.
Tony Tornado, cantor e ator.

 Antônio Pitanga, ator.

Anthony Edwards, ator.

Anthony Hopkins, ator.

Anthony Quinn (ensinando Alan Bates a dançar, em Zorba, o Grego. Por seu tipo físico e talento, Quinn, que era mexicano, interpretava homens de todas as nacionalidades. Foi italiano, grego, árabe, judeu, francês - viveu Gauguin, um show - e, claro, qualquer latino-americano, além de cowboy, bandido, patriarca, boa gente, o que desse e viesse).


Anthony Minghella, cineasta.

Tony Curtis, ator e galã.

Anthony Lapaglia, ator.
Antonio Banderas, ator.



Antonio Gades, coreógrafo.

Antônio Fagundes, ator (sim, ele foi magro. E jovem).


Antonio Gramsci, pensador.


Tom Jobim, músico e garoto de Ipanema.


Antônio Maria, compositor e jornalista.


Antônio Carlos Mussum, músico e ator.


Antoine de Saint-Exupéry,  escritor, desenhista, aristocrata e aviador.


 Tony Ramos, ator, ativista anti-depilação.



Tony Hawk, skatista.

Tony Soprano, mafioso ficcional, mas a gente acredita no James Gandolfini sempre.


Tony Shaloub, ator.



Tony Perkins, ator que foi mais do que Norman Bates.

 Por isso a gente cata uma foto dele mais arrumadinho...

... até ver que ele era boa gente, normalzinho...


O mais belo dos antonios ficcionais...
... e o mais bonito, no mundo real!

Vivam os antônios, santos ou não!!!

Nenhum comentário: