26.10.05

Doze meses virtuais

Ontem completou-se um ano de minha primeira incursão escrita no mundo virtual, com a publicação de uma crônica no Sem Graus de Separação, o meu espaço no Multiply, que tinha Arenas Cariocas como título da seção Journal. Isso porque o Multiply é todo dividido, arrumadinho como um jornalzinho. Então eu defini o "espaço" como Minha Praia, vindo daí todas as associações a que isso poderia remeter.
As areias se espalharam para o blogspot em dezembro, ainda como back up do Multiply. Aos poucos, foram se empilhando em montinhos e hoje o Arenas é maior que seu canto original.
Ao longo do ano fiz dieta três vezes a sério, não retomei as caminhadas pretendidas umas 300 vezes, emagreci três a quatro quilos rapidamente recuperados, troquei o tom das madeixas de louro cocker spaniel para castanho mezzo escuro (não adianta que a tinta é completamente desmoralizada pelo sol em São Sebastião. Meu cabelo teima em clarear, mesmo tingido), pintei as unhas de preto, marrom, vermelho, branco e "glitter", fiquei bochechuda como um buldogue, igualzinha a minha avó Olga, escrevi muitos contos, dei deliciosos almoços, peguei praias magníficas, lambi minhas crias, adotei mais duas gatas, uma morreu, outra sobrevive serelepe, promovi a adoção de três gatinhas, perdi dinheiro, passei perrengues financeiros brabos, me recuperei with a big help from my friends, comprei um viveiro para uma infinidade de passarinhos, tive peixes beta de variadas cores, assiti a bons filmes, li muito, ri mais ainda.
É bom registrar a realidade virtualmente.

3 comentários:

maria rezende disse...

Adorei ler esse seu post, Olga, porque sinto isso também: eu, que sempre fui adepta de "caderninhos de escrever a vida", agora uso o blog como uma forma de continuar fazendo isso com a vantagem de poder ser lida, o que pra uma exibida como eu é uma delícia! Adoro passar por aqui e saber de você! Um beijo, Maria

SilkSatin disse...

Legal é que além de tudo, essa coisa de publicar a vida em páginas da Internet é meio que terapía.
Eu por exemplo fiquei bem mais saidinha...comecei a expor um monte daquelas coisas e idéias que eu timidamente passei a vida engavetando, e surpreendentemente sem me preocupar muito em saber se iria ser bem recebida ou não.

Olga disse...

Maria e Cintia,
Coisa boa é ler vocês. No caso de Maria, a exibida, de ouvir também. Ainda bem que existem exibidinhas e saidinhas como vocês duas, tá? Eu sou MUITO envergonhada. É o que tenho em comum com o Veríssimo, além, talvez, das formas arredondadas... Faltam-me apenas um pouco mais de talento e o sucesso que ele obeteve.
Beijo nas duas.
Ah, Cintia, com seu CGV também soltei a imaginação de forma que até me surpreendeu. Obrigada!