30.1.06

Diferenças


... escarafuncho a Internet à sua procura, como se eu tivesse significado algo em sua vida. Insignificância é meu mote, mas não desisto. Quero saber se você está se tornando tão medíocre como eu.
Detesto gente moderna, de atitude, de sucesso pequeno, exatamente como você. Detesto gente ressentida exatamente como eu.
Então, sigo em sua cola, catando pedaços de sua vida, tão bem camuflada sob a capa da autosuficiência que esconde uma tremenda insegurança. Quantos piercings furam seu rosto? Qual é a cor de seu cabelo? De seu cabelo real, aquele que surge escuro e logo se transmuta em louro, ruivo, jamais branco, que você não passará nunca dos 27 anos.
E você segue, espezinhando quem não é igual, quem não é espelho, quem não se enquadra no seu texto. Não dá sequer pra aturar a convivência com o diferente, você não quer aproximação, não acredita em gente que pense de outra forma.
E isso sempre me fascinará.

Um comentário:

Juliana Aquino disse...

Uau!
beijos mil