20.7.09

No mundo da Lua


Não tínhamos televisão, meus pais eram uns intelectuais xiitas contrários à máquina de fazer doido em casa. Então, nos agrupamos em frente ao aparelho de nossa vizinha, a excêntrica dona Margarida, que gostava de fazer faxina no apartamento durante a madrugada.
Na hora em que Armstrong deu o pequeno passo para o homem, eu já havia capotado de sono, após intermináveis momentos de imagem escura mostrando algo que poderia ser a Lua. Maria, minha babá, acompanhava a transmissão falando que aquilo era truque em estúdio, que ninguém estava na Lua. Eu pensava no coitado do Collins, que não poderia descer em solo lunar.
E no dia seguinte, o mundo continuou igualzinho, 40 anos atrás.

4 comentários:

Jôka P. disse...

Não tinham televisão mas tinham babá.
Isso não confere, não combina,, não junta lé com cré.

Olga disse...

Minha mãe trabalhava fora, Jôka, o q não era muito comum naquele tempo. Ela era a empregada da casa e também olhava por mim. E hoje é ainda uma das grandes referências de minha vida, com quem falo religiosamente uma vez por semana para discutir assuntos pessoais.
Acho q vou corrigir a classificação de Maria... bj

Jôka P. disse...

A sua ex-babá se tornou sua atual terapeuta.

Anônimo disse...

interessante essa nova corrida á lua 40anos depois...temos mais tecnologia,ta tudo diferente mas precisaremos de pelo menos mais 10 anos de aperfeiçoamento tecnológico pra voltar lá.
Viva o Chroma Key